53-39 ou 50-36?!

Por Marcelo Rocha

   Engraçado como a “certeza” de um ciclista em relação a determinado assunto se dissemina de forma assustadora. Quantas vezes você já ouviu alguém falando que coroas 50-36 para ciclismo não prestam e isso e aquilo?... Pois é, eu também já presenciei diversas vezes e também já observei em fóruns os “experts” claro com um nick name falando e até citando fontes (outros importantes ciclistas na verdade) a respeito dessa questão.

   Vamos elucidar as dúvidas: quando um ciclista tem 53 - 39 e 12-25 que é quase a relação padrão de uma bike de ciclismo hoje em dia, quando ele chega ao 53 x 12 que é sua relação mais pesada ele desenvolve 9,29 metros. Pois bem, um ciclista com 50 x 12 desenvolve 8,77 metros (realmente é mais leve). E é aí que nos equivocamos, pois o certo quando temos 50-36 é utilizar um cassete 11-25 ou 11-23; com 50 x 11 teremos 9,56 metros que é mais pesado do que 53 x 12, com 50 x 12 teremos 8,77 metros que é mais pesado do que 53 x 13 que tem 8,58 (o segundo pinhão de baixo para cima para quem usa essa relação), com 50 x 13 teremos 8,09 metros que é mais pesado do que 53 x 14 que tem 7,96 metros, e assim por diante. E quando chegamos lá em cima do cassete é que a história fica mais legal, pois o ciclista começa a ter maior margem para uma relação mais leve sem precisar utilizar a famosa coroinha ou volantinho, pratinho ou o nome que você eleger. Com 50 x 21, por exemplo, teremos 5,01 metros e com 53 x 21 5,31 metros.

   Concluindo, se você não é o Pettachi ou o Cavendish que agüentam andar uns 4 k acima de 60 km/k e nos últimos 200m ainda saem do banco para acelerar mais uns 6 à 8 km/h, fique tranquilo e use o seu 50-36 com 11-23 ou 11-25, ou mesmo o seu 53-39 com 12-25. Agora, se você me falar que empurra 53 x 11 com cadência maior do que 90 RPM em uma situação normal use essa relação, talvez você possa correr no profissional.